terça-feira, 27 de julho de 2010

Na Argentina, não é apenas a Sede do Governo que tem tons de Rosa.

Texto: Jhoan Hussane de França Gomes

Num ato mais que polêmico, verdadeiramente um marco na construção da história do Direito e da Democracia Mundial, a Argentina sai na frente do Brasil ao promulgar na última quarta-feira (21) a lei que permite o casamento entre pessoas do mesmo sexo, aprovada na última quinta-feira, em um ato com representantes da comunidade homossexual na Casa Rosada, sede do governo.
O País passa a ser agora o primeiro da América Latina a autorizar esse tipo de união em nível nacional e o décimo no mundo, depois da Holanda, Bélgica, Espanha, Canadá, África do Sul, Noruega, Suécia, Portugal e Islândia.
A nova legislação visa a reformar o Código Civil mudando a fórmula de "marido e mulher" pelo termo "contraentes" e prevê igualar os direitos dos casais homossexuais com os dos heterossexuais, incluindo os direitos de adoção, herança e benefícios sociais.
A Atitude da Argentina não tem apenas conotação jurídica, mas também política, uma vez que eleva este país à uma nova posição no cenário mundial, no que concerne a busca pela igualdade de Direitos Humanos e sociais.
E agora? Será que o Brasil vai aceitar “ficar atrás dos Argentinos?” Ou será que seremos os próximos a “dar” sinais de que também somos uma Grande Democracia?

2 comentários:

  1. Ponto pros argentinos, os deputados brasileiros estão mais interessados em criar leis que os isentem de pagar impostos ou que proibam a mídia de entrar na câmara, lamentável.

    Tô seguindo seu blog.

    ResponderExcluir
  2. Um país atrasado como o Brasil, isso só ocorre se por por revolução!rsr
    ótimo blog!

    ResponderExcluir